domingo, 1 de julho de 2012

Sem Pecado



Naquele entardecer morno e dolente
Em que o sol beijou a lua descarado
Olhei-te na penumbra, bela e nua
Despi a minha pele, vesti a tua
E adormeci entre os teus braços, sem pecado

6 comentários:

  1. Tão lindo. Parece um elogio simplista, mas não é. Não tenho mais a acrescentar.

    ResponderEliminar
  2. Adorei o texto. Pequeno mas disse tudo! Muito bom :)

    ResponderEliminar
  3. Há lá pecado em palavras tão belas, com tanto amor à mistura!

    ResponderEliminar
  4. Uma pessoa está sensível e tu pões-te com isto... :) lindo, Vic.

    ResponderEliminar

Eu leio todos com atenção. Mas pode não ser logo, porque sou uma pessoa muito ocupada a preencher tempos livres!