sexta-feira, 30 de março de 2012

Miami Nunca Mais

Desde sempre que se debate a justiça, a legislação parece nunca estar perfeita, pelo que há sempre leis novas e outras que são erradicadas ou alteradas.
Um dos países mais originais na criação de legislação são os Estados Unidos, até porque os diversos estados, ou mesmo condados, são livres de criar as suas próprias leis, dando origem a autênticos abortos legislativos.
Desde já uma declaração de princípios: este que vos fala, não tem qualquer ligação com a área em apreço, nem sequer formação mínima que seja em Direito, falando assim a linguagem do leigo, o que poderá ocasionar o proferir de algum disparate, facto pelo qual pede antecipadamente desculpa, a ocorrer.
Todo este arrazoado que vocês leram até agora com toda a atenção, vem a propósito de um dos tais disparates legislativos, criado recentemente no estado americano da Flórida.
Pois os decisores decidiram de modo arbitrário proibir um dos mais interessantes desportos alguma vez visto naquelas paragens: o arremesso de anões.
Foi aliás um campeonato desse encantador desporto que me fez deslocar a Miami, onde não penso voltar, uma vez que é uma região desagradável, onde proliferam aligatores, mosquitos e o Horatio Cane [embora a presença deste, seja de alguma forma compensada com a presença da Eva LaRue (principalmente da cintura para cima)]
Disse anteriormente que a decisão teria sido arbitrária e há uma ponderosa razão para o ter feito: os próprios anões se manifestaram contra tal lei, não se entendendo, portanto, o porquê de se acabar com um desporto tão interessante e divertido.
Jà agora, e para os interessados, os campeonatos de arremesso do anão era compostos de duas modalidades: numa, os anões eram arremessados à distância para cima de colchões (refira-se que os anões vestiam fatos amortecedores que lhes evitavam quaisquerlesões). Na outra modalidade, os anões vestiam fatos de velcro e eram arremessados contra paredes também estofadas com velcro, onde era suposto os anões ficarem colados. Tudo inofensivo, como se verifica. Portanto, está decidido, a Miami não volto. Não se deve frequentar um sítio onde se aprovam leis iníquas que lesam os interesses do cidadão comum e cumpridor, que apenas gosta de se divertir.

NOTA IMPORTANTE: Soube-se já depois da feitura deste artigo, que um deputado estadual da Florida, propôs uma lei que voltasse a permitir tão salutar desporto como é o do lançamento de anões. Aguardemos pois, que, desta vez, o bom senso impere.

27 comentários:

  1. Inacreditável! Um desporto tão útil para o emprego dos anões, simpático e divertido e querem acabar com ele? Há legisladores que não se tocam...

    Pior ainda é o Horatio não lançar os seus olhinhos reprovadores ao legislador que se lembrou desta afronta! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade Teté. Verdadeiramente inacreditável.
      O Horatio está do lado do legislador!

      Eliminar
  2. Como é possível proibir-se algo que, de facto, dá projecção aos anões e os ajudar a dar um passo (ou vários) em frente...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vários passos, pelo que observei, meu caro Mak. Uma vergomha é o que é...

      Eliminar
  3. Acho que devia ser até considerada modalidade olímpica.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também, RST. Como o "Rolar de queijos" :)

      Eliminar
  4. Do alto da minha ingenuidade não entendi se esse desporto existe mesmo ou se é mais uma das tuas ironias. A ser verdade é ridículo e desumano. bah!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, existe (e não só na Florida, mas também em França, e em ambos os stios foi proibido) e sim, o resto é uma ironia S* :)

      Eliminar
    2. S* Ridiculo sim, desumano não, então se anões gostam de ser arremessados? Ninguém os obriga, é um deswporto voluntário e até muito salutar (desde que observados devidos cuidados de utilização de amortecedores) e divertido sim?

      Eliminar
  5. Haverá uma instituição que os protega?
    Confesso que acho isso um disparate.
    A instituição e o lançamento
    (vim retribuir a visita)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Assim do género Associação, Utena? Desconheço. :)
      Mas o resto, é uma ironia, está mais que claro. Obrigado

      Eliminar
  6. Parece-me que não corro perigo por aqueles lados. Ó não, raios, lá me esquecia do Horatio. É não pôr lá os pés.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Alexandra. Daquelas estás safo. Já de encontrares o canastrão do Horatio na rua, não sei. não... :)

      Eliminar
  7. E atiravam-nos a todos? mesmo aos gigantes?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só se admitem anóes até 1,10 m, Francisco :)

      Eliminar
  8. Já não há respeito? Lá terá o Horatio de pôr a mão na anca e as duas colheres nos olhos para resolver este crime hediondo...

    ResponderEliminar
  9. Dos que não querem acabar com (o arremesso d)os anões, evidentemente! Certo? :)

    ResponderEliminar
  10. Já há arremesso outra vez? Eh paaaah bora já aí arrancar para Miami!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eheheh! Em França também há, e é mais perto PE.

      Eliminar
  11. Oh pá... Quais outros? Que 3.º grupo estranho é esse???? ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, nêspera. Está do lado dos que fazem a lrgislação :) Então o homem não diz que está sempre ao lado da lei?

      Eliminar
    2. Pois... Está do lado dos que querem acabar com os anões, arremessando-os; ou dos que querem acabar com o arremesso dos anões, inventando outra coisa qualquer... desde que esteja dentro da lei! Tudo lhe serve ;)
      Dizes-me sempre que não... vou fazer beicinho! :}

      Eliminar
    3. Eheheh, acho que já percebeste, nêspera

      Eliminar
    4. :P Dos que não querem acabar com (o arremesso d)os anões = dos que querem acabar com os anões, arremessando-os; ou dos que querem acabar com o arremesso dos anões, inventando outra coisa qualquer. :P

      Já não se pode ter poder de síntese e dizer dois em um.... ;D

      Eliminar

Eu leio todos com atenção. Mas pode não ser logo, porque sou uma pessoa muito ocupada a preencher tempos livres!