segunda-feira, 19 de março de 2012

Idiossincrasias

Uma das minhas características mais notadas é ser bastante distraído. Acontece-me frequentemente passar por vizinhos e não os cumprimentar. Então se vou passear a minha cadela e de auriculares, é fatal que vai haver alguém a dirigir-se a mim e não receber resposta. Mas neste caso até se trata de um misto de distração/atenção. Estranho? Nem por isso. Eu explico: é verdade que o uso dos auriculares agudiza a minha proverbial distração. Mas também é verdade que vou bem atento ao chão que piso, uma vez que a zona onde moro está mais minada com trampa de cão que a zona de guerra mais perigosa do Afeganistão.
Esta idiossincrasia custou-me alguns puxões de orelhas das pessoas mais chegadas, que me chamavam repetidamente a atenção: que a minha distração passa por falta de educação, e assim. Vocês percebem.
Até que há uns tempos decidi levar em conta o que eles me diziam. E fui mais longe. Para provar que andava atento, fui tomando nota das coisas estranhas com que me deparava nas minhas voltas. Arranjei um pequeno moleskine com um lápis encaixado de lado e zás: qualquer facto insólito, tomava nota.
Quando considerei ter já anotado um razoável número de peculiaridades alheias, decidi publicitar alguns dos factos testemunhados, e que me tinham despertado mais curiosidade - por insólitos - num dia em que se tinha juntado cá em casa alguma da família mais chegada.
- Ouçam só: esta semana, na esplanada da Tentadora, vi pelo menos dois tipos a usar meias diferentes. Um quase que passava: uma das meias era preta a outra, azul clara. Mas no outro caso, uma era cinzenta e a outra de fantasia. Agora interrogo-me: estes tipos são mais distraídos que eu, desmazelados ou acham mesmo que usar meias desirmanadas lhes empresta um pouco de nonchalance? Na mesma categoria, encontrei uma velhota com duas pantufas diferentes e um tipo a passear de pijama e roupão em pleno dia, e numa das ruas mais movimentadas do bairro.
Seguinte: a filha da vizinha do 47, sabem quem é? Aquela baixinha e morena que trabalha no Colombo e anda sempre com umas saias muito justas? Não a via aí desde o princípio de Dezembro, altura em que mal se lhe notava peito e revi-a na semana passada. Pois bem, em três meses, a medida do soutien dela aumentou pelo menos 4 tamanhos! Deve ter sido prenda do Menino Jesus!
Mas há mais. Aquela fuinha que mora na esquina do 61, que vai todos os dias à igreja ajudar o padre, que se gaba de comungar diariamente (e ser uma "mulher muito séria, e não uma doidivanas como umas e outras") e anda sempre a cortar na casaca de toda a gente, vive sozinha desde que lhe morreu o marido há 2 anos, não é? Pois há mais de 2 meses que todas as semanas tem 3 ou 4 pares de cuecas de homem penduradas para secar, juntamente com a roupa dela. E só por curiosidade, coincidentemente, ela deixou de usar aquelas cuecas de gola alta. Agora são todas da Women’ Secret.
- Opá, mas tu agora deste em reparar nessas coisas? Isso é quase invasão de privacidade! – diz-me a Augusta, a minha prima que é advogada
- Claro. Vocês andavam-me sempre a chatear por causa de eu andar distraído na rua, e agora criticam por andar atento? È que ainda por cima, há coisas que não dá para ignorar. Como por exemplo o que se passou com a fanchona loura do 164 1º esquerdo.
- Que foi? - perguntou a Augusta.
- Bem a nossa rua é como vocês sabem. Aqui nesta parte de cima, então, uma pessoa parece que vai a subir uma parede, e para baixo, se não metemos travões a fundo, vamos em 5ª velocidade até Santos-o-Velho. Pois eu ia a subir e ela vinha a descer. Eu esbaforido e ela a fazer uma ginástica do caraças para se equilibrar em cima daqueles saltos agulha de 15 cm que ela costuma usar. Às tantas, estava aí a uns 6 ou 7 metros de mim, começa a esbracejar, a esbracejar, parecia que queria levantar voo. E voou:a malinha da Louis Vuitton. E ela ainda se aguentou uns centésimos de segundo em suspenso, mas acabou por também dar um espalhanço de fazer levantar um estádio. Com aquele espalhafato todo, e com a mini saia que ela trazia e que não tinha mais que a largura de um cinto, como é que eu não havia de reparar que ela não só não trazia cuecas, como tinha feito uma depilação à brasileira?

P.S. – Não fiquem preocupados que felizmente, a moça não se aleijou muito (também, com aquele sumptuoso par de nalgas a amortecer a queda - nunca percebi bem porquê, mas de cada vez que a vejo de trás, só me apetece comer uma talhada de melancia - não era de esperar que algum osso fosse molestado). Só umas esfoladelazitas e eu fui muito solícito a ajudá-la a levantar e ela até agradeceu, embora estivesse um pouco combalida e eu não soubesse bem onde estava a meter as mãos. Estava também muito vermelhona, mas deve ter sido da comoção do trambolhão. Espero que não desconfie do que descobri das suas intimidades.

30 comentários:

  1. Essa da distracção também me acontece, mas normalmente é porque vou concentrada em qualquer coisa 'aqui dentro'. Mas às vezes também me dá para ir reparando em pequenos pormenores, depende...
    Boa semana

    ResponderEliminar
  2. Moleskine? Tu compra-me é uma máquina fotográfica, que certas coisas (especialmente a da vizinha do 47 e esta última) merecem mais do que simples rabiscos num caderno!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa ideia, Rafeiro! Mas creio que aquela do trambolhão, não tinha conseguido captar :)

      Eliminar
  3. Já viste o que andavas a perder por ires na tua vida :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, RST. Vê lá o que não me terá já escapado :)

      Eliminar
  4. Peca-se por ter cão e por não ter, passo a expressão! Mas para a senhora que usa saias que parecem cintos, deixo-lhe um conselho: E que tal pedir emprestadas as cuecas de gola alta à senhora que agora só usa Women Secret?

    Beijinhos,
    Patrícia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade Patrícia. Quanto ao conselho, não acredito que ela as fosse usar. É uma rapariga muito cheia de calores :)

      Eliminar
  5. Olá amiguinha querida.... Gosto muito de te ver em meu bloguinho.
    Fiquei sabendo que voce foi no calelereiro e ficou linda (mais linda...rsrs), vim correndo ver fotos, mas não achei nenhuma, quando der, vc coloca algumas para eu ver voce? Tenho certeza que ficou ótima.
    Ótima semana amiguinha e família.
    Fiquem com o Papai do Céu.
    Aus 1000 e Beijos 1000 das amigas...

    KIPPY & Mamis LILLY

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. daqui a pouco aqui estarão :) Boa semana para vocês também

      Eliminar
  6. Estás a ver que quem te deu nas orelhas tinha razão. Já compensou andares mais atento.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é verdade, Moyle. O que não terei perdido! :)

      Eliminar
  7. Sabes que isso até pode ter sido de propósito. Experimenta no mesmo dia e mesma hora na semana seguinte.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hum...vamos ver WN, vamos ver. Não custa tentar :)

      Eliminar
  8. Pode estar aí o início de um belo romance...beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahah! Issoé que já duvido, Patrícia. Pelos mais variados motivos ;)

      Eliminar
  9. Isto de andar a passear a cadela é no que dá: com o tempo e depois de levar nas orelhas, começa-se a reparar em cada caso insólito... :)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E já muito tarde, Teté. Vamos ver se daqui para a frente tenho a mesma sorte que nestes dias :)

      Eliminar
  10. Muito interessante esta rua. Não sei como pudeste andar tão distraído.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, Vera, eu também não. Estou mesmo lixado:)

      Eliminar
  11. Ai, essa da talhada de melancia... Quando não vale prestar atenção às coisas de vez em quando! (estive numa rua parecida com a tua ontem)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Alexandra. A rapariga agora fica que nem uma papoila sempre que passa por mim (que rua foi? esta é na Lapa/Madragoa)

      P.S.- Melancia? Também ficaste com vontade de uma talhadita?

      Eliminar
    2. Por acaso não aprecio melancia, tem pevides! (lembras-te do meu post dos grelos?)
      A Rua era na Pena (acima do Rossio), outra colina, outra vista do Rio, mas lembrou-me a tua.

      Eliminar
    3. Pela descrição, calculei que fosse por aí, Alexandra. Ou pela Graça. De qualquer forma, são sempre vistas belíssimas:)

      Eliminar
  12. ahahah Sempre divertido. Pobre senhora, fiquei com vergonha por ela.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ;), Acho que ela ficou suficientemente envergonhada S*. E daí talvez não :)

      Eliminar
  13. Nunca se pode dizer que esta água não beberei...ou daquela vizinha me apaixonarei! Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Patrícia, é das tais vezes em que me atrevo a usar a palavra nunca :)

      Eliminar
  14. ahahahahahah, muito bom. Quer dizer, a situação, o resto imagino que as fossas nasais não tenham apreciado grandemente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. imagino que te refiras ao post de cima, M. Realmente a coisa fedeu :)

      Eliminar

Eu leio todos com atenção. Mas pode não ser logo, porque sou uma pessoa muito ocupada a preencher tempos livres!